SEXUALIDADE NA TERCEIRA IDADE

A sexualidade na terceira idade é um assunto importante, faz parte da vida e não é nenhum papão, ela pode trazer alegria, liberdade, o importante é que o corpo seja devidamente respeitado e perceber as alterações com o avançar da idade que o homem e a mulher sofrem. A sociedade de hoje muitas vezes tem dificuldade em aceitar e aprovar as manifestações sexuais das pessoas da terceira idade, é importante contrarias determinadas crenças e mitos. É certo que com o avançar da idade, existe muitas vezes um desgaste afetivo do casal, acontece transformações físicas do corpo e doenças que muitas vezes afetam o desempenho sexual. As pessoas sentem necessidade sexual até á morte, muitas vezes é só uma questão de ajustar a sua intimidade e torná-la agradável, não existe idade para o sexo, portanto homens e mulheres da terceira idade aproveitem e desfrutem de uma vida sexualmente feliz e cheia de prazer.

SEXUALIDADE PARA TODA A VIDA

Á medida que o corpo vai envelhecendo é verdade que pode-se perder intensidade  e quantidade no ato sexual, mas apesar das mudanças naturais fisiológicas, não quer dizer que na terceira idade a sexualidade não exista. Assim os desejos podem modificar mas não termina o prazer, a sexualidade pode-se expressar com carinhos, beijos, o afeto e o sentimento não tem idade. É fundamental aprender a respeitar o corpo e assim viver-se sexualmente feliz para sempre.

AS MULHERES

As mulheres na terceira idade conservam o desejo erótico e o interesse pelo sexo, apesar das mudanças físicas e harmonias que ocorrem durante a menopausa. Quanto á pratica sexual, estas mudanças expressam-se fundamentalmente na perda de flexibilidade das paredes vaginais, assim como numa diminuição do canal vaginal, que também perde a lubrificação natural, podendo provocar irritações ou outras moléstias. Existem terapias para resolver estes problemas e o uso de lubrificantes artificiais, pode ser muito mais satisfatório prolongar os jogos prévios ao acto sexual. Outra mudança evidente é o facto de os peitos crescerem menos durante a excitação, apesar de os mamilos manterem a sensibilidade eréctil em resposta aos estímulos. As mulheres nesta etapa continuam a poder atingir orgasmos, mas estes são acompanhados por uma contracção muscular menos intensa.

OS HOMENS

Nos homens entram na andropausa e as mudanças são mais graduais, a maioria dos homens, conserva a capacidade eréctil durante toda a vida, excepto caso exista alguma disfunção. No entanto nos homens observa-se uma diminuição no tamanho dos testículos e uma menos produção de testosterona. Embora as erecções nocturnas sejam menos intensas, frequentes e prolongadas, nos homens saudáveis nunca chega a desaparecer completamente. Podem demorar mais tempo a atingir a erecção com o avançar da idade e nem sempre a conseguem, embora continuem a sentir sempre orgasmos tal como a mulher, costumam ser acompanhados de espasmos musculares menos intensos. O esperma pode ser expelido pouco a pouco e com menos força do que acontecia nas ejaculações juvenis.