Desfibrilhadores,utilização,cuidados e segurança

O desfibrilhador automático externo é um aparelho computorizado no qual é ligado um circuito com elétrodos (adesivos) a uma pessoa em paragem cardiorrespiratória. O DAE está programado para orientar o operacional na reanimação, o desfibrilhador pode ou não recomendar a aplicação do choque após analise da vitima, o operacional deve seguir as indicações sonoras e visuais fornecidas pelo DAE.

DAE

PONTOS MAIS IMPORTANTES NA UTILIZAÇÃO DO DAE

Os desfibrilhadores automáticos externos são aparelhos muito seguros, mas tem que ser utilizados de forma adequada e sempre seguindo as normas de segurança. Em cada aparelho DAE deve existe um kit que é composto por:

. Toalha ou lenços absorventes;

. Lâmina para cortar pelo;

. Luvas;

. Máscara

Em seguida vamos referenciar os aspetos mais importantes na utilização do disfibrilhador e os quais são fundamentais:

. Tórax Húmido

Se for o caso da vitima ter o peito e a zona envolvente molhada ou húmida, por exemplo causado por sudorese ou afogamento deve secar muito bem a vitima. Se aplicarmos as placas adesivas no tórax húmido, a corrente elétrica diverge e o grau de eficácia do DAE diminui.

. Tórax com pêlos

Se o tórax da vitima tiver muito pêlo, é conveniente rapar com a lamina. Isto para garantir que, a aderência das placas auto-adesivas não seja um problema.

. Pacemaker ou CDI

Estes aparelhos são fabricados com partes metálicas, deve se ter o cuidado de não colocar as placas auto-adesivos em cima dos mesmos (afastadas 2,5 cm), afim de evitar que chegue menos energia ao coração.

. Joalharia

Remover todos os artigos de joalharia que possam estar em contato com as placas. Deve se ter em atenção os piercings, manter as placas afastadas dos mesmos.

. Adesivos transdérmicos

Deve assegurar que o tórax está limpo, livre de adesivos ou qualquer outro material colado á pele. Pode existir vitimas que tenham medicamentos de absorção através da pele, esses pensos ou adesivos na zona do peito devem ser retirados e limpar muito bem a zona de fixação, para evitar que surjam possíveis, queimaduras, faiscas ou impedimento de transferência de energia na acto da desfibrilhação.

PREOCUPAÇÃO COM SEGURANÇA NA DESFIBRILHAÇÃO

A segurança no local é uma das preocupações fundamentais, o operador reanimador não só deve estar preocupado com a sua segurança mas tambem com a da vitima e restantes colegas de equipa. Os problemas neste campo de segurança com o DAE, pode ter vários fatores:

. Falha no equipamento;

. Erro do operador;

. Deficiente manutenção

Aparelho de desfibrilhação

CUMPRIMENTO DAS NORMAS ESPECIFICAS NA DESFIBRILHAÇÃO

1. O DAE só é utilizado em vitimas em paragem cardio respiratória foi confirmada.

2. Quando o aparelho de desfibrilhação esta a realizar a analise, ninguém deve estar a tocar ou muito próximo da vitima.

3. Sempre que o DAE vai realizar uma analise na ambulância, a mesma deve parar a marcha e desligar o motor.

4. Por motivo de segurança devido á caixa metálica, a desfibrilhação nos elevadores está desaconselhada.

5. Ter sempre em atenção a fonte de oxigénio, as garrafas devem estar afastadas pelo menos um metro da zona de desfibrilhação.

DESFIBRILHAÇÃO EM CRIANÇAS

Em crianças com mais de 8 anos ou com peso superior a 25 quilos, os aparelhos mais indicados são os DAE standard. Estes desfibrilhadores pediátricos atenuam a corrente e no seu kit as placas tambem são mais pequenas. No caso de não existir no local aparelho pediátrico, o DAE deve ser utilizado tal como em pessoa adulta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *